quinta-feira, 17 de julho de 2008

Faz de conta


Não respondo teus e-mails, e quando respondo sou ríspido, distante, mostrando meu receio, mantenho-me alheio: FAZ DE CONTA QUE EU TE ODEIO.


Te encho de palavras carinhosas, não economizo elogios, me surpreendo de tanto afeto que consigo inventar só para agradar, sou uma atriz, sou do ramo: FAZ DE CONTA QUE EU TE AMO.


Estou sempre enaltecendo os planos que eu tenho, sempre reclamando que os outros fazem tudo errado: FAZ DE CONTA QUE EU DOU CONTA DO RECADO.


Sinto falta de pessoas que já me foram queridas, quase chegaram a ser amigas, momentos divididos com muitas alegrias, hoje já não falam, os laços se desfizeram, eram boas companias dignas do meu voto : FAZ DE CONTA QUE ME IMPORTO.


Debocho de festas e de roupas glamurosas, não entendo como é que alguém consegue viver nas baladas na área vip, dormir tarde todas as noites, ser convidado para todos os eventos modernos: FAZ DE CONTA QUE EU NÃO QUERO.


Assisto ao telejornal, lamento a dor dos outros e passo noites em claro tentando entender corrupções, descasos, tudo o que demonstra o quanto foi desperdiçado meu voto: FAZ DE CONTA QUE EU NÃO SUPORTO.


Tenho amigos que sumiram, trancafiados em seus leitos, pararam de ligar, poucos são os que estão a me procurar: FAZ DE CONTA QUE NÃO PERCEBO.


Digo que perdôo, lembro dos bons momentos, digo que os ruins ficaram no passado, que já não lembro de nada, que toda mágoa é peso morto: FAZ DE CONTA QUE EU NÃO SOFRO.


Cito Aristóteles e Platão, leio poesia concreta, compro telas abstratas, fico fascinada com modernosos arranjos musicais e assisto sem legenda o mais recente filme romeno: FAZ DE CONTA QUE EU ENTENDO.


Tenho todos os ingredientes para um prato divino, mantenho o bar abastecido, um pouco de sal e pimenta para tempero na despensa e o fogão que parece novinho: FAZ DE CONTA QUE EU COZINHO.



Bem-vindo ao mundo da fantasia, qual é o seu papel?
Você pode ser um fantasma que atravessa paredes e não pode ser visto, ser anão ou ser gigante escolhando o tamanho de sua grandeza, um menino prodígio ou uma criança ingênua, o mutante que passa pelas mais variadas transformações, a donzela perdida a espera do seu herói, ou uma sex symbol mostrando tudo que destrói. FAZ DE CONTA apenas FAZ DE CONTA.

9 comentários:

Germano disse...

Um faz-de-conta que é mais real do que muito conto da carrochinha, Ju.

Você constrói um discurso que antes de mais nada quer dizer o inverso.

Deixo um abraço carinhoso.
Aparece!

Germano

aurasacrafames disse...

Quantas vezes vivemos em uma utopia, algo inatingível, mas que de tanto sonhar torna-se algo tangível. Ah, se assim fosse para o fim da corrupção, das desigualdades, da fome, enquanto isso FAÇO DE CONTA QUE SUPORTO.

Abraços
aurasacrafames.blogspot.com

Mau Camus disse...

Pô, Jú. Muito bom. Ultra criativo!
Parabéns.
Bom fim de semana!
Bjos

Zek disse...

nossa, exelente !!!!! maravilhoso....

Poderia se chamar " Bem vindo a realidade... onde tudo é um faz de conta".

Beijos!

tem a palavra o povo disse...

Olá Ju.
Achei esta maravilha cheia de palavras belas. De conceitos fantásticos do ser pessoa hoje.
O ritmo alucinante das vivências modernas que nos reduzem à condição de mendigos por momentos lucidos.
Gostei do ambiente do teu blog. Do teu jeito de comunicar. Da firmeza das palavras com que alertas as nossas, a minha, consciências.
Um beijo de amigo

Germano Xavier disse...

Vim deixar um abraço, Ju.
Germano

O ANTAGONISTA disse...

Gostei demais! Muito criativo e bem escrito... deu gosto de ler!

Parabéns!

Valeu.

O Profeta disse...

O começo!
Uma viagem no Mundo presente
Será que o vento açoita as árvores
Ou são elas que cedem ao embalo docemente


Um doce embalo em brisa de verão para ti


Boa semana


Mágico beijo

d avadore disse...

Eu achei engraçado, mas mais engraçado é (assim com todo respeito - faz de conta que eu respeito) o "profeta" com a estrela dourada giratória... energia puuura!